Miguel Miranda, o rosto das letras

  • by
Gaia presta homenagem ao escritor da terra traduzido em Itália e França
16-04-2016

O Rosto das Letras é Miguel Miranda. A homenagem do Município de Gaia reconhece e valoriza o escritor de referência do concelho. A sua obra percorre géneros literários tão distintos como o romance, o conto, o policial e a literatura infanto-juvenil.

“Miguel Miranda é uma referência de Vila Nova de Gaia. Do ponto vista social, porque é um ativista de causas sociais, ligado à medicina, que não abandonou a dimensão filantrópica, mas também um grande escritor conhecido fora do concelho. Este momento de reconhecimento é, por outro lado, uma oportunidade de lhe mostrar o orgulho que temos nele”, afirmou o presidente da Câmara.

Eduardo Vítor Rodrigues falava após a inauguração da exposição sobre a vida e a obra de Miguel Miranda, partilhada com a comunidade no centro cívico, frente aos Paços do Concelho. E realçou que esta 2ª edição do “Rosto das Letras” “associa homens de letras à educação, leitura e literatura, particularmente a literatura produzida pelos gaienses”.

O escritor já foi homenageado pela Câmara de Gaia com a medalha de mérito municipal. “Fazemos muito bem lembrar aqueles que são os nossos. Damos-lhe visibilidade mas, também, beneficiamos do ponto de vista local do reconhecimento, da imagem, de uma certa perpetuação daqueles que estão perto de nós. Temos, ainda, a oportunidade de interpelar as escolas e a comunidade em geral para a leitura dos nossos”, acrescentou Eduardo Vítor Rodrigues.

A sessão de abertura da homenagem foi marcada por momentos distintos, que decorreram no Auditório Municipal: a recepção do público pelos “Plebeus Avintenses”, a atuação da Escola Ginasiano e uma conferência sobre o percurso literário de Miguel Miranda.

Ana Paula Arnault, professora de Literatura Portuguesa Contemporânea da Universidade de Coimbra, fez uma alocução sobre as personagens criadas pelo escritor e considerou que a sua ficção “sempre nos mostra, de um modo ou de outro, universos cuja arquitetura semântica se alicerça num ponto de equilíbrio entre imaginação e realidade”.

Por seu turno, Levi Guerra, médico e professor catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, realçou as mais valias do somatório do conhecimento científico e da pessoa humana: “O próprio exercício da medicina é um exercício de imaginação e atenção permanente”.

Helder Pacheco, escritor e professor de História Social e Cultural, evidenciou que, “desde que conheci os “Contos à Moda do Porto”, reconheci muita gente da cidade real, concreta, personalizada, autêntica, significante. É uma verdadeira redenção o que algumas destas figuras encontram no escritor”.

Miguel Miranda apresentou a sua nova obra intitulada “60 Q?”. Trata-se de um livro de micro-contos que eleva para 22 o número de obras publicadas desde 1992. “Este é um desafio interessante, é um exercício de estilo a que me propus e que aqui deixo em forma de livro”.

A homenagem do Município de Gaia representa um estímulo à criação literária de Miguel Miranda. “É um reconhecimento honroso, que me deixa sem palavras, o que é difícil, mas registo com muito agrado esta iniciativa da Câmara. Os tributos em vida são sempre estímulos à criação, são divulgação da cultura e chamada de atenção para a literatura, para o gosto pela leitura e pela escrita”.

Traduzida em Itália e em França, a obra de Miguel Miranda ficciona personagens e histórias, inspiradas em detalhes da vida real. “Eu importo algumas coisas da realidade, mas dá-me mais prazer criar coisas novas do que retratar, tal e qual, figuras pré-existentes. As pessoas estão a ver as personagens, mas elas não existem, têm tal grau de credibilidade que as pessoas as imaginam e as encontram. Vou beber sempre algum pormenor, um tique, uma maneira de estar, uma história, mas isso é fermento da criatividade. A realidade serve de base à inspiração”.

A exposição biobibliográfica inaugurada, de seguida, na Biblioteca Municipal de Gaia, ao ritmo da flauta de Joaquim Pereira, conta a história de vida e o percurso literário de Miguel Miranda. Nesta viagem, é possível apreciar várias edições da sua obra, em Portugal, França e Itália, participação em coletâneas, livros de pessoas que escreveram sobre o escritor, quadros de pintores que o retrataram e, ainda, pormenores da vida pessoal, como por exemplo o percurso desportivo no xadrez, andebol e mergulho, para além de episódios da infância e juventude.

O próximo momento da homenagem a Miguel Miranda será no dia 4, no jantar literário com o escritor, que terá lugar no El Corte Inglés. O Rosto das Letras prolonga-se até 21 de maio.